Pesquisar este blog

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Felicidade

O que nos faz feliz? O que te deixa radiante de alegria, sorrindo sem motivo algum, achando graça nas coisas mais idiotas e esquecer que milhões de pessoas passam fome?
É engraçado e até estranho saber que nesse mundão de meu Deus as pessoas se alegram com coisas totalmente diferentes. Para alguns, é necessário que todas as pessoas o achem o máximo. Para outros, o simples fato de acordar de manhã cedo e ver que o sol nasceu com um brilho espetacular. Alguns só precisam escutar a música preferida- e dentre esses, há aqueles que curtem heavy metal, outros axé, outros música clássica, outros música celta, canto gregoriano, moda de viola daquelas bem velhas...e por aí seguem uma infinidade de opções.
Ser feliz... Uma questão que envolve muito ou muito pouco? Tá, deixa eu te levar à reflexão. E você? Para você é necessário muito ou muito pouco?
Para mim depende do meu estado de espírito. Há dias em que meu coração palpita muito forte quando escuta uma música (uma coisa que facilmente me eleva aos extremos) que não escuto a muito tempo, que não me lembrava o nome, que não sei quem canta, que só sei que me lembra coisas muito prazerosas. Só que em alguns, eu preciso que todas as pessoas que eu conheço me liguem e me digam que me amam! Há aqueles ainda em que eu não preciso de absolutamente NADA!
Fico feliz por... ficar!
Mas eu digo que isso é normal. Uma amiga diz que ela é 100% feliz. Que ela não tem um só dia de desânimo, que ela se obrigou a ser feliz todo dia. E isso é lindo! Mas sinto decepcioná-la... Todo mundo tem um dia de deprê e um dia só, não faz mal. É uma experiência pela qual todo mundo passa e tem que passar.
Eu, porém, concordo com essa minha amiga em um ponto: se existe uma opção de escolha, eu escolho todos os dias ser feliz, e mais feliz, e mais feliz enquanto eu puder!!

É aí que eu me lembro que há tantos males no planeta... Mas a minha alegria será tanta, que eu escolho ajudar e espalhar essa minha alegria para todo e qualquer ser que estiver à minha volta!
Eu lanço a você um desafio: opte hoje por ser feliz. E se você não souber como se faz, faça o bem aos outros. Essa tática é certez que funciona...

Bom dia!

2 comentários:

Lucas Ninno disse...

heey!

Eu vi seu comentário la no Sol Na Laje, mas nem vi que vc tinha feito um blog!

Muito legal! Já era a tempo mesmo...
Assim vc não precisa contar suas "maluquices" só pra mim.

Para a "amiga", que eu faço uma grande idéia de quem seja, eu indicaria ouvir a música "O Vencedor" do Los Hermanos.

"Olha lá
quem sempre quer vitória
e perde a glória de chorar"

A gente sempre volta mais forte, e eu aprendi um bocadinho com isso.
´
Obs: é, eu concordo sim que tem coisas que só a gente conversa e só a gente entende

;)

abraço!

Kreps disse...

Felicidade...palavra intrigante...forte. Questão de filosofia própria, prefiro não pensar que existe a metafrasalidade desta palavra. Assim como não acredito em 100 per cent.
Talvez são os momentos de tristeza/alegria que nos deixam viver. Afinal, a vida é um desafio, para todos os seres vivos, que segundo Darwin...blá, blá,blá. Eu to lendo a Origem das Espécies, e sempre que vejo um pensamento intrigante, de uma dúvida capsciosa de Charles, eu paro e reflito.
A vida é realmente um lixo, o mundo corrupto e o multiverso conspirador. ENTRETANTO, todo o meu suposto conhecimento da verdade universal, meus dogmas religiosos orientais, me levam a crer que, mesmo com as condições adversas, é possivel forçar a alegria. O que, na Teoria de Darwin, seria lutar contra o próprio destino.
Me lembro de 3 meses e alguns dias atrás, em que eu passava por uma horrivel maré de azar. Era porrada atrás de porrada. "Demo", não me impediu de ficar alegre e satisfeito, rindo da minha própria desgraça, e lutando cada dia mais contra essa conspiração.
Felizmente o multiverso é feito de opostos (exceto a gravidade, que até agora não descobri força oposta a ela.DAMN!^^). Simplificando, é a realidade do Ying Yan.

Por isso, vivo cada dia intensamente, aproveitando cada oportunidade que possa ajudar ao equilibrio entre o bem e o mal (ás vezes o bem tá tão bem, que eu faço uma maldade só pra variar!MUAHAHAHA!XP).

E eis no que realmente acredito, na própria força de vontade e vontade de fazer força, para ser invariavelmente lutar contra os próprios instintos, fazendo o próprio destino (talvez não aparente, mas realmente são coisas opostas).

E como sempre digo para eu mess':

CARPE DIEM!!