Pesquisar este blog

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Meu Deus! Me tornei piegas!!


Um amigo me disse ontem que o amor é patético. O namoro é patético. Mais patético ainda é aquele que fica observando os casais patéticos (o caso dele). Ele disse que não tem coisa que te torne mais patético do que estar apaixonado. É um tal de cuti-cuti daqui, amorzinho de lá, um olhar besta, um andar flutuante... É patético como as pessoas ficam rendidas, iludidas, sonhadoras, perdem a noção de realidade!

Eu pensava como ele. Imaginava que quando eu namorasse alguém seria totalmente diferente por que eu não perco o meu chão. Acho infinitamente ridículo aquela coisa (muito arquetípica) de chamar o outro de bebê, de ficar grudado o tempo todo e jamais entendi como é que as pessoas se suportavam ficando tanto tempo parados olhando para a cara do outro. É realmente patético. "Demasiado piegas pro meu gosto", pensava eu.

Foi aí que o destino me passou uma puta rasteira...

E de repente tudo ficou azul...

De repente eu estava olhando para a cara de uma figura com o olhar mais tenro do mundo...

De repente eu estava andando sem o chão...

De repente eu me vi chamando o outro de amor (o que pra mim tem um peso enorme. Já disse nesse blog o quanto "Eu te amo" é importante??).

E de repente (pasmem) eu fiquei olhando o maior tempão pra cara da pessoa sem dizer lá muita coisa!

Mas de repente (tão de repente como as outras coisas) eu descobri que há muito mais envolvido naquele olhar patético de horas...

Eu não sei os outros, mas naquele meu olhar eu dizia muita coisa. Todas aquelas coisas que o telencéfalo humano, tão desenvolvido, não conseguiu exprimir em linguagem. Naquele olhar havia uma comunicação frenética que dizia muito mais que "putz, eu te amo". Ele queria desvendar o que havia nas profundezas do outro, os sentimentos mais verdadeiros (ê, medão de se machucar!).

Descobri que os idiotas casais apaixonados que ficam o tempo todo junto são realmente idiotas! Mas é que existe ali uma sensação tremendamente prazeirosa em estar com aquela pessoa. Ela deve ser divertida, companheira, do tipo parceira, sabe? Gostar de rir com você, conversar muito, beijar muito, entender por que dizia o poeta "amor é fogo que arde sem se ver, ferida que dói e não se sente...".

E você se pergunta porque fazer sem ela, se é tão bom fazer com ela??

Ninguém fala nada de amigos que fazem tudo junto. Namorados que fazem tudo junto são pegajosos.

Mas eu continuo achando que deve haver liberdade (sempre, sempre, sempre!!). E estar longe um pouquinho um do outro faz com que o reencontro seja ainda melhor. Em suma, os casais se distanciam para poder pegar fogo na hora de se reaproximar!

E aquilo que era tão piegas, se tornou, meu Deus!, comum. Eternamente piegas é claro, mas fazendo parte do que agora é a sua vida.

Demorei para descobrir o que era isso. Talvez não. Talvez tenha sido cedo pra saber. Mas importa que, se é cedo ou tarde demais, vale mais é aproveitar! Porque isso tudo pode um dia acabar (e muito dizem que é só uma questão de tempo) então, pelo amor de Deus, viva!!! Seja horrivelmente piegas, porque é tão bom...


Relato pessoal: amigos, sou uma piegas neófita e por isso estou me adaptando a esse novo estilo de vida. Quero dizer a todos que nunca fiz tanta besteira numa latência tão pequena e que jamais quebrei tantas regras e rompi tantas barreiras. É como se eu tivesse ultrapassado a atmosfera e agora ficado sem ar. Mas sabem, amigos, a sensação de estar do outro lado, de ficar sem ar mas ver as estrelas vale muito, muito a pena. Mas olhe bem, decore o prazer desse momento, porque a qualquer instante você pode voltar à Terra e só Deus sabe quando você voltará a ver as estrelas. Ou pode viver lá do outro lado. Como viver sem ar?? Ah, não se preocupe! Sabe a paixão que te impulsionou para o universo? Então, será substituida por uma coisinha que te dará um mega estoque de oxigênio e te dará fôlego para sempre: o amor.

(Metáfora by Milady)

E é assim, amigos, que eu me dei conta, num choque tamanho, que, Meu Deus!!, havia me tornado piegas...

5 comentários:

Kristielle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kristielle disse...

Mais uma piegas!
_o/\0_
K... Mi

hiahiahiehai...

Caroline disse...

mi..procurei seu nome no google e vi um comentário seu no blog do Zeca Camargo!!!! há tantas milady's, mas foi fácil identificar..conheço bem o jeito de escrever da milady...( 3 anos de cefet e talz)..fikei feliz de te ver poraki...e vim fuçar nu seu blog...acho q li todos os postados..uhm e ..amei a metáfora do piegas....!!! mi...admiração profunda....por ti...sucesso e que nosso PAIZINHU...te abençoe mto....Te amo!!!

João Paulo Mendes disse...

Olá Milady, Bom dia !!!

Obrigado pelo comentário em meu blog, gostei muito de sua participação.
Vou me esforçar para postar uma resposta satisfatória amanhã. Posso usar seu comentário para dar origem a outro post?

Sobre a pergunta de comparar Buda a Satanás eu não dei a Buda esse título, veja bem o que diz a frase que postei, apenas disse que a estratégia e não a pessoa era mais uma atitude do inimigo de Deus.

Em momento algum minha postagem tem o objetivo de ofender pessoas, o alvo é combater propostas que contrariem a verdade Divina revelada em Cristo.

Parabéns pelo seu blog

osmar disse...

Adorei o texto, queria deixar meu comentário aqui!
É aquela mesma estória: Quando se rasga o véu da inocência, se abraça o frio da realidade!
Quem não é ou foi piegas, não sabe como é bom!Ou não.
“A duvida é o preço da pureza, e é inútil ter certeza!” Já cantava alguem sabio!

bjos Milady!