Pesquisar este blog

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Sol de Cuiabá

Brilho do sol no Parque Mãe Bonifácia - Cuiabá


Há um certo tempo atrás, um amigo me disse, enquanto caminhávamos no Parque Mãe Bonifácia (um lugar maravilhoso aqui em Cuiabá), que o sol daqui em Janeiro e Fevereiro, é o mais lindo que ele já viu. Pronto, isso já foi o bastante para me fazer pensar e pensar e pensar...

Cuiabá é um lugar cuja população é composta por muita gente que não é natural daqui. Tem uma galera enorme do sul do país, do restante do centro-oeste e de todas as outras regiões do Brasil. Pudera, sendo esta uma terra desbravada tardiamente e com a quantidade de ouro e terra férteis encontradas por aqui, era natural que imaginássemos que uma boa quantidade de pessoas enxergariam nesta terra de árvores torcidas uma oportunidade formidável de ganhar a vida.
E hoje, depois de tantos anos de história, vemos os frutos desse encontro regional: uma cidade com uma tradição muito bacana e rica e uma concentração populacional bastante heterogênea. 
Essa gente toda é acolhida por um povo caloroso e por um clima mais caloroso ainda. E é deste último que todo mundo reclama! 
Cuiabá é uma cidade acolhedora. Seu centro histórico, apesar de mal cuidado, nos leva a uma viagem no tempo e, ao passar pelo beco do Candeeiro, com um pouco de imaginação, podemos visualizar o polêmico assassinato que ocorreu há tantos anos. O casarão onde hoje se encontra o MISC, museu de Imagem e Som de Cuiabá, nos remete ao cotidiano de uma casa onde até hoje se encontra o velho poço. E a biblioteca municipal é tão linda que dá vontade de ficar por lá só para se deliciar com o local. 

Mas nossa cidade é mais conhecida pelo calor sem medida que perpassa o nosso cotidiano. Minha gente, aqui é quente mesmo! Mas nem só de calor vivem os dias dessa capital. O sol também nos traz seu brilho, e era desse brilho que meu amigo falava. Amarelado, se infiltrando no interior das árvores, batendo nas janelas pedindo passagem, trazendo vida ao início do dia.
Uma amiga muito querida chega a dizer que faz fotossíntese! Da primeira vez que a vi parada frente ao sol, de olhos fechados, com um sorriso pacífico nos lábios, achei esquisito. Ela nem é verde pra fazer fotossíntese! Mas compreendi que a troca de energia que havia ali a regenerava. 

Esses dois amigos de quem falo são ambos cuiabanos de nascença. Eles aprenderam desde pequenos a se adaptarem a este sol maravilhoso, mas, mais que isso, aprenderam a ver a beleza que tem este sol, cujo brilho faz de Cuiabá uma cidade abençoada. E eu, cuiabana de coração, aprendi a amar essa cidade. Devo sair dela por algum tempo. Mas quero voltar, pois o sol de Cuiabá, ainda que as vezes fique tão ardido, compensa por sua beleza natural. Pois o sol que brilha aqui, irradia todo lugar. Mas em Cuiabá ele é livre para ser quem ele é, e ele é muito quente! Por essa liberdade é que ele nos recompensa brilhando com toda a força, sendo o mais belo que consegue ser!

  

Um comentário:

ab.reload disse...

Mi, que texto lindo... Tão lindo e cheio de cores quanto o singular céu de minha amada e calorosa terra natal!

Parabéns!